COVID-19

2.jpg

Após anunciar suspensão da 2ª dose da CoronaVac, Rio adota novo calendário; veja datas


Imunização será feita de forma espaçada, segundo cronograma divulgado pela Prefeitura do Rio. Nesta segunda-feira (3), é a vez de idosos com 70 anos ou mais de idade.

 

Após anunciar no fim de semana a suspensão da aplicação da segunda dose da vacina CoronaVac, a cidade do Rio retoma, de forma espaçada, a imunização para idosos que já fizeram a primeira dose no município. Nesta segunda-feira (3) é a vez de idosos com 70 anos ou mais de idade.

 

Segundo o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, há três semanas que a capital não recebe doses do Instituto Butantan em quantidade.

 

“A gente chegou a ter 320 mil doses reservadas, mas a queda na produção do Butantan foi muita intensa. Não era possível continuar o calendário. A gente vai ter um atraso máximo de 10 dias para algumas pessoas. E para a maioria das pessoas o atraso vai ser somente de 5 dias”, disse Soranz em entrevista ao Bom Dia Rio nesta manhã.

 

“Assim que receber as vacinas do Instituto Butantan, a gente acelera e aplica as vacinas da segunda dose”.

 

Segundo ele, o atraso de poucos dias não vai interferir no processo de proteção contra a Covid-19.

 

O secretário explicou que houve necessidade de um calendário diferenciado por causa da redução no número de doses recebidas do Butantan.

 

“A gente ia receber 150 mil doses do Instituto Butantan na sexta-feira e a gente recebeu 17 mil doses, um número muito abaixo do que estava previsto. Isso já tinha acontecido duas semanas atrás, mas como a gente tinha reservado doses, a gente conseguiu sustentar, mas agora nessa sexta-feira, com essa redução tão grande de aporte, é impossível sustentar”.

 

Soranz disse ainda que estão previstas novas entregas do Butantan nos dias 6, 10 e 14 e com isso é possível “dar um pouco mais de previsibilidade para a população”.

 

O secretário falou também que recebeu um aporte muito maior da vacina AstraZeneca e com isso foi possível antecipar o calendário da primeira dose.

“A gente tem um aporte muito maior de vacina AstraZeneca e a gente pôde antecipar também o calendário da primeira dose. A gente consegue fazer uma vacina por dia, começando com 56 anos hoje e acabando com 52 na sexta-feira”.

 

“E é claro que a partir disso, os municípios vão ter muito mais desconfiança dessa recomendação do ministério [da Saúde] e a gente vai ter que obrigatoriamente segurar a segunda dose para evitar que aconteçam interrupções como essa”.

 


Fonte: G1